25 setembro 2014

Motherfucker, coisas da minha adolescência

all-star

Sim, eu andei com um filho da puta.
Ele era diferente de todos do colegial. Era novato e tinha vindo de outro estado. Andava de all star desbotado azul marinho, igual a um que eu tinha na época. Gostava sempre de usar aquela calça  jeans surrada com rasgões que eu achava super descolados... e adorava camisa xadrez. Ai.meu.deus! (eu acho super lindo homens nesse estilo meio grunge.)
 Na verdade, ele não era meio estilo, ele era um grunge mesmo, e adora os nirvana. E eu, eu simplesmente o venerava. A única coisa que não gostava era que ele fumava, mas aquilo deixava ele com o ar de "fodão".

Como sempre fui atraída pelos "errados", tratei logo de contornar o tal garoto. Saí do meu grupinho de "patricinhas" que eram as minhas grandes amigas na época não que eu fosse uma, eu sempre fui rebelde, desajeitada e sempre gostei de rock.

Mas fazer amizade com um cara "fechado" não era lá bem meu forte, alias, fazer amizades nunca foi coisa que eu me dei bem. Mas tinha uma chance, descobri um dia, quando larguei cedo e ele também, que morávamos na mesma rua, isso mesmo! Então no começo eram só trocas de  olhares e aquela vontade de se falar, até que um dia ele chegou em mim e falou, e ficamos amigos.

Eu não tinha interesse nenhum nele e nem ele em mim, a coisa era pra amizade mesmo e foi o que fiz, investi. Mas como todo filho da puta mente, aquele dali não ia ser diferente, também tinha seus segredos e eu não havia descoberto quais eram ainda.
Meses passaram e ele namorou uma amiga minha da mesma rua. Continuamos amigos e até cheguei a descobrir coisas dele que eu não gostava, fazer o quê? ninguém é perfeito.

Sempre fui observadora, e pra piorar, das boas. Vi que tinha que me afastar do garoto, havia algo errado com aqueles dois "ele e a namorada" que até então era minha amiga.

Acabou que começaram a consumir drogas, ela morreu "disso" e ele depois de uns meses sei-lá, foi embora. Embora pra onde? É isso que me pergunto até hoje, sem despedidas, sem abraços... nada. Ficou uma incógnita no ar desde então. E eu me pergunto até hoje como tudo aconteceu, se fazia tempo, e onde é que aquele maldito motherfucker foi parar.

Gostava dele.

2 comentários:

  1. eita.... acho que nunca tive crush por carinhas maus. O que acontecia era de eu me apaixonar e depois descobrir podres, coisas assim. Mas, que história pesada, viu? Sua amiga acabou morrendo por causa disso. u.u

    ResponderExcluir
  2. Naru, Nem foi algo a mais que amizade, eu realmente gostava dele pelo jeito dele, mas deu no que deu. :( E eu nunca mais o vi.

    ResponderExcluir

BLOG SEJA LIVRE, VOE! | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2015 ©| Design e Código: Layanne Eduarda | • voltar ao topo